A Verdadeira História do Fusca - Como Hitler Se Apropriou da Invenção de Um Gênio Judeu


Uma importante e surpreendente revelação da origem do Volkswagen Beetle, conhecido por Fusca, é contada no livro do jornalista holandês Paul Schilperoord.


A história oficial do Volkswagen Sedan, o popular Fusca, afirma que sua origem está ligada ao projeto de Ferdinand Porsche, um talentoso engenheiro alemão que teve sua ideia patrocinada pelo governo nazista de Adolf Hitler.

Outra versão dessa história está sendo divulgada através do livro: "A Vida Extraordinária de Josef Ganz: O engenheiro judeu por trás do Volkswagen de Hitler" (The Extraordinary Life of Josef Ganz: The Jewish Engineer Behind Hitler s Volkswagen", RVP Publishers, 2011). Esta é a primeira edição do livro em língua inglesa.

O livro original foi publicado em holandês e sua primeira tradução foi feita em português, lançado no Brasil em novembro de 2010 com o título "A Verdadeira História do Fusca - Como Hitler se apropriou da invenção de um gênio judeu". 

Este trabalho é o resultado de mais de cinco anos de pesquisa de Paul Schilperoord, um jornalista de tecnologia holandês que estuda desenho industrial na Itália. Durante esse tempo, Schilperoord coletou muitos documentos e fotografias de fatos da vida de Josef Ganz, um engenheiro e jornalista judeu que diz ser o verdadeiro inventor do Volkswagen Beetle, o nosso Fusca.

Nessa leitura você também encontra um panorama da cultura automotiva alemã do período entre as Grandes Guerras e a difícil realidade econômica das pequenas empresas. Segundo o autor, a expressão "carro do povo" ("Volkswagen") era tão comum na década de 1930, assim como "computador pessoal" foi para os americanos na década de 1980.

O principal personagem do livro, Josef Ganz, era um dos muitos engenheiros mecânicos da época que, inspirados em Henry Ford, queriam projetar um veículo popular. Ganz também era jornalista. Ele escrevia para várias revistas sobre design automotivo, e usou bem a imprensa para tecer suas críticas aos automóveis da época e promover o seu conceito de "Volkswagen" alemão ("carro do povo"). 


Ele também trabalhava como consultor para algumas montadoras e foi responsável por uma série de patentes de direção, suspensão e de outros sistemas automotivos. Trabalhou para a Daimler-Benz e BMW, onde esteve envolvido no desenvolvimento dos primeiros carros com suspensão de rodas independentes: o Mercedes-Benz 170 e o BMW AM1.

Josef Ganz atrás do volante de seu Ardie 1930-Ganz, o primeiro protótipo Volkswagen

Ganz defendia que o carro popular deveria ser feito com motor refrigerado a ar posto na parte traseira do veículo, ter com base numa "espinha dorsal" e suspensão independente nas duas extremidades. Paul Jaray, um pioneiro da aeronáutica, o ajudou nas idéias para a carroceria, cuja forma lembra o Fusca. 

Em fevereiro de 1933, acontece o Salão do Automóvel de Berlim. É também neste evento que Ganz lança seu o modelo "Standard Superior" e atrai o interesse de Hitler pelo seu design avançado e pelo preço baixo de custo. Por causa do novo governo anti-semita, Ganz é demitido de seu emprego na revista Motor-Kritik e acusado de chantagem industrial. Foi preso pela Gestapo, mas em junho de 1934 foge da Alemanha.

O livro mostra que Ganz projetou o que viria ser o Fusca, e que Adolf Hitler se apropriou do projeto e o atribuiu a Porsche, no mesmo mês de sua fuga.


Schilperoord ainda diz no livro que Ganz foi na época o único que falava de um veículo com chassi tubular, motor traseiro, corpo aerodinâmico e suspensão independente: uma fórmula para produzir um carro acessível para as famílias.


Longe da Alemanha, Ganz tentou desenvolver o "carro do povo" na Suíça. Os primeiros protótipos foram feitos para produção em massa. Mas funcionários suíços corruptos ligados ao governo alemão e a Segunda Guerra impediram seus planos. Em 1951, ele se muda para a Austrália e vai trabalhar na Holden, subsidiária da General Motors. Em 1965, ele conta a sua história para a Sports Australian Motor e para a revista Automobiles, cujo título era " Como eu inventei o Volkswagen". Josef Ganz morreu dois anos mais tarde na Austrália, depois de uma série de ataques cardíacos.

Outros engenheiros também atribuem a si mesmos a invenção do Fusca. Porém, o livro de Schilperoord com sua história intrigante, revela o que pode ser um dos maiores roubos de propriedade intelectual da história e nos mostra a ironia do fato de como um judeu pode ter sido a peça chave na origem de um veículo tão estreitamente ligado à Alemanha nazista. 

Para mais informações, acesse o site josef-ganz.com ou o facebook  Josef Ganz - True Father of the Volkswagen Beetle.

FONTE: Motor Clube

ONDE COMPRAR: Saraiva | Cultura | Estante Virtual

Controversa, complexa e obscura, a história do Fusca está diretamente ligada à recessão que castigava a Alemanha na década de 1930 e à ascensão do nazismo. Apaixonado por automóveis, Hitler via na ideia de criar um carro popular – produzido por operários alemães em uma fábrica alemã – a oportunidade de concretizar seu projeto político. 
“Oficialmente”, o automóvel do povo foi projetado por Ferdinand Porsche, mas essa paternidade é contestada pelo pesquisador e jornalista holandês Paul Schilperoord, que afirma que o carro mais popular do mundo foi na verdade desenvolvido por um engenheiro judeu chamado Josef Ganz. 
Em A verdadeira história do Fusca, Schilperoord apresenta pela primeira vez uma série de documentos e esboços que comprovariam que Hitler se apropriou da invenção de Ganz. “Essa é a história de um crime que nem mesmo Hitchcock conseguiria inventar”, disse Josef Ganz em seu leito de morte. Está lançada a polêmica.


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.